Sobre o Polo Aquático

O que se sabe da origem do polo aquático é que ele surgiu no século 18, na Europa, e era apenas uma forma de entretenimento praticado, principalmente, em rios e lagos. Tem o conhecimento que o termo “polo” vem da pronúncia inglesa de origem indiana “pulu”, que significa bola. O primeiro jogo oficial aconteceu em Londres, no Crystal Palace Plunge e foram os ingleses que estabeleceram as primeiras para as partidas.

A modalidade foi adicionada aos Jogos Olímpicos de Paris, e tornou-se a primeira modalidade coletiva da história do evento.

O polo aquático chegou ao Brasil no início do século 20 e foi praticado nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. O registro do primeiro jogo no país é datado em 1908, na praia Santa Luzia, no Rio de Janeiro. Já o primeiro jogo internacional aconteceu na Baía de Guanabara, em 1919, contra os argentinos.

A estréia da seleção brasileira de polo aquático aconteceu em 1920, na Antuérpia, na Bélgica. Nos Jogos Pan-Americanos, o Brasil tem um bom histórico, somando 11 medalhas, sendo uma de ouro, em São Paulo em 1963.

A piscina para a prática do polo aquático deve ter a metragem de 30×20 para homens e 25×20 para mulheres e a partida é dividida em quatro períodos de oito minutos. As equipes são formadas por sete jogadores (um goleiro) e seis reservas.

Duas das principais regras do esporte são: com exceção do goleiro, é proibido segurar a bola com as duas mãos juntas e a bola não pode ser afundada por qualquer jogador quando atacado.

Os campeonatos paulistas organizados pela Federação Aquática Paulista são divididos em categorias: infanto-juvenil, juvenil, júnior, adulto, sub-19 e sub-21. Em São Paulo, o polo aquático é praticado pelo Esporte Clube Pinheiros, Clube Paineiras do Morumby, Clube Atlhetico Paulistano, Associação Brasileira A. Hebraica de São Paulo, Clube Jundiaiense, SESI, Bauru Tênis Clube e Clube de Regatas Internacional de Santos.

Deixe um comentário